Resenha do Pinguim #2 – “Your Money or Your Life” de Vicki Robin e Joe Dominguez

Comecei a ler este livro como recomendação de alguns blogs de finanças em Inglês que sigo, e só depois de ler uns 30% dele que me dei conta que na verdade ele é um clássico – de fato, um best-seller Americano muito popular em meados dos anos 90. Naquela época, não se falava muito sobre finanças pessoais, e o conceito de aposentadoria precoce era praticamente inexistente, então é possível acreditar que foi este livro que realmente “deu o tranco” no movimento FIRE; inicialmente nos EUA, e depois no mundo inteiro. Confira a sinopse do Goodreads:

“In times like these, it’s more important than ever to know the difference between making a living and making a life. Your Money or Your Life is even more relevant today than it was when the book first hit the stands, and a great publicity campaign will bring this already strong-selling book to a whole new audience.”

O que um livro com mais de 25 anos de idade pode nos ensinar em 2018? Surpreendentemente, muita coisa.

No shame, no blame”

Your Money or Your Life ensina um framework para enriquecimento pessoal baseado em um processo de descoberta, aprendizado, reflexão, mudança e ação. Em cada um destes passos esta frase é repetida como uma mensagem pessoal dos autores para o leitor: “No shame, no blame.” Não há o que se envergonhar das suas escolhas ou performance do passado, assim como não há porque se culpar por estas – o importante é se tornar consciente de como elas lhe afetaram e como você pode mudá-las de agora em diante.

Não há como estressar o suficiente a importância deste ponto que o livro faz. Não há progresso sem antes se dar conta dos erros que você cometeu antes, entendê-los e agir sobre eles. Infelizmente, a maioria das pessoas infla o ego e, seja por vergonha ou orgulho, não enxerga o passado nesta lente, tornando-se assim dispostas a repetir os erros no futuro.

Este conceito é repetido várias vezes ao longo do livro, especialmente quando conceitos supostamente “polêmicos” são introduzidos. Ao fim da leitura, é de expectativa que você olhará seu passado e suas escolhas passadas como uma fonte rica de aprendizado ao invés de algo que você se envergonha ou tem medo de olhar.

Dinheiro como medida de vida

Outro conceito importante do livro: para você, trabalhador assalariado, o seu dinheiro é uma medida de como você passa o tempo da sua vida. Estas unidades são competamente intercaláveis. É importante ter consciência desta equivalência na forma de como você maneja o seu dinheiro. O livro solicita ao leitor que pesquise todas as horas que são gastas com o trabalho e como isso afeta o pagamento ao final do mês. E não estamos somente falando das horas gastas durante o expediente, mas também sobre…

  • Tempo gasto indo e vindo ao local de trabalho
  • Tempo gasto na rotina matinal antes de ir ao trabalho (levantar, tomar banho, se arrumar, tomar café, etc)
  • Tempo necessário após o trabalho para “descompressão” e se aliviar do estresse do dia (televisãozinha no fim do dia, etc)
  • Horas gastas durante o fim de semana para se “recarregar” do trabalho como dormindo até mais tarde, indo pro bar beber, viajando pra algum lugar diferente, etc
  • Qualquer outro tempo que você passa relacionado ao trabalho mesmo estando fora do expediente (celular da empresa, grupo de whatsapp do trabalho, vendo emails)

Enfim, somado todos estes fatores, a rotina diária das 9 horas de trabalho por dia se parece mais como umas 14 horas ou mais quase sem você perceber. E pior: o seu salário real por hora trabalhada é na verdade uns 30% menor do que você achava.

Com base nessa informação, a pergunta é: como é que você têm utilizado a sua energia de vida diária?

9 passos para a liberdade

O processo descrito pelo livro conta com 9 passos para se aprimorar:

  1. Making Peace with the Past: aprenda com o seu passado, veja o quanto de dinheiro você já ganhou até agora, e como isso se reflete na sua situação atual (net worth)
  2. Being in the present – tracking your life energy: comece a anotar todos os seus gastos, indiscriminadamente. Você tem obrigação de saber sempre quanto dinheiro entra e sai da sua vida.
  3. Where is it all going: categorize os seus gastos que você recordou anteriormente. Seja específico; restaurantes e janta em casa não precisam ser da mesma categoria de “comida”
  4. Three questions that will transform your life: este é o pulo do gato do livro. Pra cada uma das categorias, questione a si mesmo se você achou que os seus gastos da sua energia da vida te trouxeram benefício, felicidade e se estão de acordo com a sua filosofia de vida. O seu objetivo é fazer que todos os seus gastos te façam sentir melhor na vida.
  5. Making life energy visible: para aumentar ainda mais o efeito, crie um gráfico mensal das suas receitas (salário, etc) contra seus gastos totais. Ver os resultados de maneira gráfica é um fator motivacional que vai lhe encorajar a otimizar para o futuro.
  6. Valuing your life energy – minimizing spending: você irá reduzir gastos com qualquer categoria que não te traga felicidade ou benefício proporcional a quantidade de energia de vida que você gastou com ela (passo 4).
  7. Valuing your life energy – maximizing income: agora você ataca o outro lado – como você pode aumentar o valor da sua hora de energia? Algumas soluções descritas no livro são: aumentos, trabalhos freelance pós-expediente e outros negócios.
  8. Capital and the crossover point: o livro define capital como a diferença entre receitas e gastos aplicada. Utilize uma rentabilidade de investimento seguro (como por exemplo os 6.5% do Tesouro Selic) e calcule o quanto ao mês as suas economias aplicadas podem te render. A fórmula é: Renda = (Economia * Rentabilidade) / 12. Inclua este número no seu gráfico do passo 5. Quando este número for maior que os seus gastos, tcharam… você pode se aposentar!
  9. Managing your finances: a partir daqui você pode explorar outros investimentos para o seu capital dependendo de como você aceita riscos e retornos. Infelizmente, o conteúdo deste capítulo é bem específico ao mercado dos Estados Unidos, mas você pode tirar suas conclusões por fora com outros recursos de investimento do Brasil

Conclusão

O Pinguim recomenda este livro 100% para qualquer pessoa que esteja ou iniciando ou no meio do aprendizado da filosofia FIRE. É como se fosse uma bíblia, a partir do qual todos os outros recursos de finanças pessoais se basearam. Infelizmente algumas coisas não se traduzem exatamente ao contexto do Brasil (abundância de empregos, facilidade de trocar de empresas ou iniciar negócios próprios, a bolsa, etc), mas os conceitos ensinados são agnósticos.

E a pergunta que o livro faz permanece aqui pro post: como é que você têm utilizado a sua energia de vida diária?

Abraços!

Anúncios

Um comentário sobre “Resenha do Pinguim #2 – “Your Money or Your Life” de Vicki Robin e Joe Dominguez

  1. Pingback: Orçamentos para quem não gosta de orçamentos – Pinguim Investidor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s