Resenha do Pinguim #1 – “The Subtle Art of not giving a Fuck” de Mark Manson

Resolvi iniciar outra série de posts, desta vez são resenhas de livros / filmes / documentários e outras coisas que tenho experimentado ultimamente. Infelizmente, pode-se esperar que 90% do material aqui seja em Inglês, pois essa é a minha preferência de leitura. Assuntos geralmente serão centrados em finanças pessoais e investimentos, mas outros off-topic poderão surgir. Vamos lá!


Confesso que peguei este livro pra ler quase que apenas por conta do título, que achei parte hilária, parte desafiante, e 100% interessante para inspirar a leitura. Acabou sendo uma decisão ótima e sem qualquer arrependimento da minha parte.

Para ter uma idéia mais ou menos qual é o tom de voz desse livro, leia essa sinopse do Goodreads:

In this generation-defining self-help guide, a superstar blogger cuts through the crap to show us how to stop trying to be “positive” all the time so that we can truly become better, happier people. For decades, we’ve been told that positive thinking is the key to a happy, rich life. “F**k positivity,” Mark Manson says. “Let’s be honest, shit is f**ked and we have to live with it.”

O cara já chega chutando a porta e metendo a faca. Awesome. Vamos ver o recheio desse livro.

A felicidade vem de dentro, não de fora

Ironicamente, a maior parte desse livro não tem mantém uma atitude de Fuck everyone and everything. Muito pelo contrário; a maior mensagem que este livro de auto-ajuda passa é a seguinte: felicidade genuína não vem de fatores ou coisas externas, mas sim de valores pessoais que você mantém e busca sempre aprimorar.

Se comprar roupas, trocar de carro ou ostentação nas redes sociais são os lastros nos quais você amarrou o seu conceito de felicidade, a sua felicidade depende de fatores externos. Nesse caso, você tem pouco ou nenhum controle sobre eles, já que não controla como as outras pessoas pensam sobre você. Mais cedo ou mais tarde vai receber uma reação pior do que de expectativa e vai se sentir ruim, como se o esforço pra obter felicidade foi em vão.

Por outro lado, se você lastrear a sua felicidade em valores internos e focar sua energia em viver estes valores 100% do seu tempo, o controle da sua felicidade passa a estar 100% alocado no seu domínio. Você conseguirá controlar toda a sua felicidade, independente da reação ou aprovação alheia. Alguns valores que Manson exemplifica são: honestidade, sinceridade, procurar realizar o bem.

Você é a razão da sua vida

Além dos valores e objetivos na vida, Manson vai mais um passo além e sugere um onto extra: você é responsável por todos os problemas (e coisas boas) da sua vida. Ao internalizar o conceito de causa, você imediatamente se põe numa posição de alta responsabilidade – e poder.

disappointment-panda

Disappointment Panda: mascote de Manson que fala para as pessoas as verdades que elas não querem ouvir

Manson exemplifica como a cultura atual aponta “fatores externos” (o governo, a sociedade, seus pais, seu cônjugue, chefe, vizinho, etc) como causa da infelicidade do indivíduo. O resultado é uma sociedade extremamente sensível, oprimida e que requer auxílio constante – alvo fácil para marketing e pessoas mal-intencionadas.

Ao tomar centro de todos os problemas da sua, você não apenas se torna o único que pode resolvê-los, mas também poderá aprender com eles e mudar para melhor. Você terá insights da sua vida, de porque ela funciona desta forma e como você pode se reprogramar para escapar dos seus hábitos destrutivos.

A vida é curta demais – escolha as batalhas que importam

Manson explica que a vida é feita de problemas – melhorar de vida não significa eliminar problemas, e sim arranjar problemas um pouco melhores que os antigos. Isso não é necessariamente ruim porque, segundo Manson, resolver nossos problemas é o que nos traz felicidade. Porém, como muitos problemas da vida não estão 100% sob o nosso controle, é melhor se preocupar com aqueles que podem ser resolvidos por nós.

dichotomy of control

Este post (e o livro inteiro) sumarizado

Você consegue controlar o que a sua família estendida e colegas pensam sobre você? Primos invejosos, parentes maldosos, amigos de copo que só se reúnem para se medir, comunidade do escritório… Provavelmente não. Então porque queremos tentar impressioná-los sempre? Ao trocar este estilo de vida por um onde nos importamos apenas com aquilo que nos traz valor e temos controle sobre, temos mais chance de viver feliz.

Ou, como diz Manson direto e reto: choose to give a fuck about what matters.

Estoicismo disfarçado

O livro inteiro dá vários sinais do estoicismo diluido nos parágrafos, completo inclusive com um capítulo inteiro relacionado à morte no fim. Embora não seja explícito, Manson toma vários conceitos estóicos e os apresenta de forma palatável e prática. Para quem ainda não se familiarizou com o estoicismo, este livro é um bom ponto de partida por apresentar utilidades cotidianas reais da maioria dos conceitos-base da filosofia estóica (internalização do controle, fatalismo, visualização negativa…)

Não é um livro do estoicismo per se, mas serve como um bom ponto de partida. E quem sabe isso não me abre a porta para fazer uma resenha de um livro de estoicismo no futuro…

Conclusão

Ler esse livro começou como uma gargalhada e uma leitura curiosa terminou como uma profunda lição de vida. Combinando com meu background estóico, foi um ótimo complemento descrevendo como a vida pode melhorar se simplesmente fizermos direcionarmos a nossa energia para o que realmente importa em nossas vidas.

Recomendo essa leitura a todos procurando a IF. Com certeza vai ajudar vocês a chegar nos seus objetivos com mais paz de espírito.

E aí, finansfera? Qual livro vocês têm lido ultimamente?

Abraços!

Anúncios

Publicado por

pinguiminvestidor

O pinguim é uma ave da família Spheniscidae, característica do Hemisfério Sul, em especial na Antártida e ilhas dos mares austrais, chegado à Terra do Fogo, Ilhas Malvinas e África do Sul. Este pinguim em particular prefere dinheiro às sardinhas, e é fã do software livre (GNU/Linux)

4 comentários em “Resenha do Pinguim #1 – “The Subtle Art of not giving a Fuck” de Mark Manson”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s